quarta-feira, 31 de março de 2010

Vida de ribeirinho

Esperando a maré baixar para fazer a travessia.

Antônio Barreto, entre 9 de Janeiro e Alcindo Cacela. Essa poça imensa se formou por causa de um bueiro entupido. Duas moradoras dessas casas meteram os pés n'água e retiraram um saco vazio de ração de cachorro, que obstruía o escoamento normal para a galeria subterrânea.

10 comentários:

Yúdice Andrade disse...

"Fazer a travessia"... Isso soou tão sobrenatural!

Tanto disse...

Procure sempre a luz branca... lembre!

Amanda Pinto disse...

Ontem de manhã a Bernardo Sayão estava um rio também, e nem tinha chovido. Imagina hoje como não está!

Francisco Rocha Junior disse...

Não só a Bernardo Sayão, como a Doca também estava sob a água, ontem. É a chamada época da maré lançante.

Carlos Barretto disse...

Enfim, permanecemos na lama.
"As usual".

Belenâmbulo disse...

Yúdice e Fernando,
Desculpem-me a ignorância. Vocês estão falando de espiritismo?

Amanda / Francisco / Barretto,
Fiz umas fotos legais da maré cheia no Ver-o-Peso. Também consegui, finalmente, registrar imagens de uma pororoca boa. Em breve, aqui no Belenâmbulo...

Abraços

Frederico Guerreiro disse...

Valeria investigar quem era o cachorro que jogou o saco na rua.

Belenâmbulo disse...

Ô, Fred,
É apenas um pobre animal irracional...

Frederico Guerreiro disse...

Qual deles?

Belenâmbulo disse...

O dono, é claro!