sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Mais uma placa sem moral


Tentando entender os motivos:
1 - Ela estava de costas para a placa, portanto não tinha como saber o que estava escrito.
2 - Mesmo que olhasse para a placa, a pichação dificultaria a leitura da mensagem.
3 - Ainda que conseguisse decifrar a advertência, seria cansativo subir e descer dois lances de escada.
4 - Se tivesse disposição para utilizar a passarela, correria o risco de ser assaltada.
5 - Ela tinha pressa e o trânsito estava tranquilo.

2 comentários:

Virótica disse...

Opção 4. É a que me faz fazer isso também...

Belenâmbulo disse...

Pois é, companheira,
Durante o tempo em que passei fotografando essa e outras travessias arriscadas, havia dois rapazes parados, em pontos diferentes da passarela. É uma cena muito comum. Podemos estar sendo injustos ou preconceituosos - afinal, contemplar o trânsito da Almirante Barroso a partir de uma passarela deve ser um exercício relaxante (eu seria capaz de passar horas fazendo isso) - entretanto é uma atitude, no mínimo, suspeita. Além disso, o tráfego de veículos fica retido por alguns segundos nos semáforos da Mauriti e da Humaitá, tempo suficiente para uma travessia segura. No fim das contas, acho que atravessar a pista pelo chão acaba sendo menos arriscado mesmo, a não ser que haja policiais vigiando a passarela, como testemunhei em alguns dias.

Abraço