quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Saltos ornamentais

Na escadinha da Estação das Docas.
Da próxima vez, além da câmera, levarei sunga e toalha. Diversão garantida!



14 comentários:

Yúdice Andrade disse...

Aquele rapaz da seleção brasileira de saltos ornamentais não começou treinando no açaí, nas favelas da Terra Firme? Quem sabe um desses meninos não dá a mesma sorte?
Desde criança vejo a farra da garotada, dando esses saltos espetaculares (que eu jamais consegui ou conseguiria), em plena Baía do Guajará. Mas como não aproveitar? Belém não tem praia na zona urbana; eles não têm dinheiro para acessar outras formas de lazer. O jeito é se virar como podem. Assim, do mesmo jeito que uma garrafa pet vira um carrinho e trapos viram bonecas, a "escadinha" vira base de saltos.
É a nossa realidade...

Carlos Barretto disse...

Esta é uma das diversões mais antigas de Belém para a garotada. Desde a mais tenra idade, morria de inveja deles. Meu pai não deixava eu fazer o mesmo de jeito nenhum.

Frederico Guerreiro disse...

Cuidado para não mergulhar em cima de um "submarino".

Amanda Pinto disse...

Tanto meeeedo de que algum deles se arrebente!!! Mãããs são todos filhos de Iemanjá =D então são tudo safos.
Quando fores leva o pé de pato e o óculos.

Belenâmbulo disse...

Yúdice,
É impressionante mesmo esse negócio de saltar sobre a serragem (http://www.educacaofisica.com.br/noticia_mostrar.asp?id=7016)
Constatei há algum tempo que as melhores diversões não são necessariamente as mais caras. Essa criatividade no lazer me fascina.

Barretto (e Yúdice também),
Se vocês quiserem, a gente marca um salto conjunto. Um fotografa o outro. Seria legal.
Providenciem remédios para verme e para coceira, impingem e micoses em geral.

E você, Fred, pare de agourar nossa brincadeira, ok?

Amanda,
Acho que não vou precisar desses equipamentos de segurança. Acredito que minhas habilidades de nadador sejam suficientes para saltar e voltar até a escadinha tranquilamente.

Abraços

Yúdice Andrade disse...

Só faço isso se a imprensa for convocada! Aliás, a blogosfera!

Jeferson Assis disse...

Belas imagens. Eu como um "bom filho da terra", já cansei de dá essas piruetas antes de cair de bucho na água.rs.
.
A minha pergunta que fica: essa água é apropriada para banho?
Abraços..

Carlos Barretto disse...

Pular????
Mas e o submarino?

:-)

Belenâmbulo disse...

Yúdice,
Então convoquemo-la! Aqui, no Arbítrio e no Flanar. Quero ver se não aparecem umas 30 pessoas, pelo menos!

Jeferson,
Então você é um felizardo. Mas em breve não o invejarei mais. Qualquer dia desses, vou lá me integrar à equipe de saltos.
A respeito da qualidade da água, melhor não pensar nisso. Na verdade, nem sei se a água da Cosanpa é apropriada para banho (às vezes me dá uma coceira!).

Barretto,
Nossos sonhos de infância nos atormentarão até que os realizemos.
O encontro com o submarino é um risco inerente à brincadeira.


Abraços

Anônimo disse...

O problema nem é o submarino. São as piras. deus-te-livre de banhar nessas águas

Belenâmbulo disse...

ah, não, Anônimo...
Pira tem tratamento... Nas minhas contas a curtição vale a pena.

Abraço

Frederico Guerreiro disse...

Olha, eu avisei...
cuidado com o submarino...

Anônimo disse...

Certa vez , estava eu na praia do Joá , namorada nova e como todo bicho-homem , todo pimpão , louco pra me mostrar , então fui pelas pedras na encosta do clube Costa-Brava e lá da casa do "garaio" me atirei das pedras e saí braçando feito um Johnny Weismueller moderno e tropical, água austral , gelada de verão carioca e a besta aqui braçando , quando então a água de repente "amornou" , botei a cara pra fora e ví que estava numa língua negra , marronzinha , marronzinha ou seja num enorme veio de estilhaços de "submarinos" , que pra minha sorte era como um feixe em paralelo a arrebentação , braçei forte e saí dali , descí a arrebentação mas ainda na água , agora gelada de novo , com a certeza que me acometeria aquelas doenças de esgoto , aquelas doenças incuráveis de merda , literalmente.
Passou-se o tempo e nada se passou com a anta aqui , o que dá a certeza que posso arriscar meus mergulhos no Guamá e sobreviver.rsrsrs
Abraços
Tadeu

Belenâmbulo disse...

Você já está vacinado, né, Tadeu?
(me deu coceira só de ler o seu relato rico em detalhes)