sábado, 17 de outubro de 2009

Jacques, o imortal

Perdoem-me por fugir um pouco à linha editorial deste blog, porém eu não poderia deixar de compartilhar com vocês essa deliciosa narrativa de realismo fantástico, extraída de um inquérito policial.

17 comentários:

JOSÉ DE ALENCAR disse...

Bota fantástico nisso, meu caro Belenâmbulo.
Há precedentes.
Na política.

Val-André Mutran disse...

Égua!
Esse declarante estava sob efeito de qual entorpecente?
O Jacques que ele descreve não tá no Gibi.
- Fala sério! Hehhehehe.

Belenâmbulo disse...

Bem observado, caro Alencar!

Grande Val-André!
Essa foi a mesma pergunta que fiz ao amigo que me enviou essa imagem por e-mail.
Acho que o declarante andou "fumando" demais...

Abraços

Lafayette disse...

E por falar em realismo fantástico...

"Extra! Extra!

Começou a ser contada uma história!

A BATALHA DA AMAZÔNIA começou a ser narrada pelo André Costa Nunes, no seu blog "Tipo assim... folhetim".

http://tipoassimfolhetim.wordpress.com/

É coisa pra mais de metro e de megas bits!"

Ps.: coisa de filho-coruja! ;-)

Amanda Pinto disse...

Quero ser o Jacques!!!
Meu deus, ele é o Chuck Norris do inquérito de Charles Athayde!

Derek disse...

Gostei muito desse BLOG..


Posso compartilhar fotos tbm?


Abraços

saulo disse...

pow esse Jacques e imortal é...hehehehe

. disse...

Será que o problema foi do declarante ou do escrivão que colheu o depoimento?

Amigo, já tive que editar um BO que fiz, porque contei uma história e lá estava outra. Não tive medo, nem pudor. Pedi para sentar no lugar do cara e fui corrigindo tudinho.

Não duvide que o "fumante" seja o papilocopista (é assim q escreve?)

Tássia disse...

Li o B.O e passou uma cena de fileme de terror na minha cabeça. Como os de zumbis ou coisas parecidas.

Duarte disse...

ERRATA: Onde se lê JACQUES, leia-se: JASON.

Frederico Guerreiro disse...

Jacqueslander, o Guerreiro Imortal.

Prof. Alan disse...

Égua, esse Jacques é o cão chupando manga! Filho do Curupira com o Mapinguari!

Pra derrubar ele só mesmo o Chuck Norris!

Ou... o Zé Mayer!

A propósito, Wagner, sabes como é a tradução do título do filme Duro de Matar para o abaetetubês, o idioma oficial de Abaetetuba?

Escruto prá purra!

Pacheco disse...

Velho, o relato é tão cômico (ou seria "comics"?) que não me contive e fiz questão de postar um cometários.
1º Onde se lê JACQUES, leia-se Clark Kent.
2º Onde se lê DECLARANTE, leia-se Lex Luthor com kriptonita (para enfraquecer o Kent).
3º Onde se lê STEFANI, leia-se Lois Lane, namora do "Homem-de-Aço".

Pronto! Só falta o John Byrne fazer os traços e a DC publicar.

"Você não pode confiar em seus olhos quando sua imaginação está fora de foco." (Mark Twain)

Thiago Diniz disse...

o que está acontecendo por aqui?um dos melhores blogs da cidade tá quase parando? volta belenâmbulo!!!!!!!

Belenâmbulo disse...

Lafayette,
Já fui, e já linkei aí ao lado. Nossa... ele escreve mais do que minha capacidade diária de processamento!

Derek,
Agradeço pela visita e pelo comentário elogioso.
Sim, todas as contribuições serão bem-vindas. Se você quiser compartilhar suas fotos, pode enviá-las para o meu e-mail belenambulo@yahoo.com.br

Waleiska,
Também já passei por situação semelhante. Fiquei agoniado com a dificuldade do escrivão em relatar o simples assalto que eu havia sofrido. Não cheguei a assumir o teclado, mas no fim do depoimento eu já estava ditando todo o texto - inclusive pontuação e ortografia - para o cara.

Saulo, Tássia, Duarte, Fred, Alan e Pacheco,
Esse relato é mesmo um convite à nossa imaginação. Eu só havia pensado no Jason e no Highlander... Vocês são demais!

Thiago,
O que está acontecendo é que ando meio sem inspiração, achando tudo que publico aqui muito repetitivo.
Mas essa fase já está passando, e um comentário como o seu acaba me motivando a retomar a regularidade das postagens.

Abraços

Cris disse...

Eita, qual foi a cachaça que o declarante fumou?!

Belenâmbulo disse...

Cris, acho que o declarante e o escrivão beberam juntos esse baseado.