quinta-feira, 21 de maio de 2009

Rebu no Conjunto do BASA

Particularmente, serei beneficiado pela abertura do Conjunto do BASA. Moro na Marambaia, e atualmente pego a estreita Passagem Santo Antônio para acessar a Av. João Paulo II, e assim escapar do trânsito da Almirante Barroso, pelo menos até a Dr. Freitas. Seguir direto na Tavares Bastos será ótimo para mim.
Mesmo acreditando que a relação entre o número de pessoas beneficiadas x prejudicadas justifique tal intervenção, não posso simplesmente pensar: "danem-se os outros, o que importa é o meu". Segundo informações de moradores do local, a prefeitura se recusava a executar benfeitorias no conjunto, sob a alegação de que se tratava de área particular. Dessa forma, tudo foi feito com o dinheiro deles: asfaltamento, calçadas, drenagem... E agora perdem tudo, sem direito a indenização?!?! (ainda bem que não sou jornalista, logo, sinto-me desobrigado de apurar a informação)
Não adianta mais espernear, nem bloquear a Almirante Barroso. A ordem judicial foi cumprida. Daqui pra frente é se adaptar à nova realidade, e redobrar os cuidados com segurança, como em qualquer bairro da cidade.


Essa foto foi tirada na banquinha de jogo do bicho que ficava na entrada do conjunto. No fim da tarde, restavam apenas os entulhos.


Ô, curiosidade... Só esperando o circo pegar fogo... e pegou! Nessa hora ninguém tem pressa! (nem eu...)


Garantindo a ordem... Pelo que vi, as autoridades estavam preparadas para uma operação de guerra. Havia dezenas de viaturas policiais e ambulâncias enfileiradas nos fundos do conjunto, na Av. João Paulo II. A truculência veio de tardezinha.


Como não deve ter acontecido mais nada de relevante hoje na cidade, o rebuliço acabou se transformando num encontro municipal de repórteres. E eu não poderia perder a oportunidade de evocar o nosso maltratado Código de Posturas.



TÍTULO III - DA HIGIENE PÚBLICA
(...)
CAPÍTULO II - DA HIGIENE DOS LOGRADOUROS E VIAS PÚBLICAS
(...)
Art. 30 - Nos logradouros e vias públicas é defeso:
(...)
II - impedir a passagem de pedestres nas calçadas, com (...) veículos ou qualquer outro corpo que sirva de obstáculo para o trânsito livre dos mesmos.

16 comentários:

Mallia disse...

Ééeegua. Eu tava indo buscar informações sobre o fato nos sites de notícia quando me deparo com o resumão aqui. Muito bacana.
Só faltaram as imagens do quebra-pau...
Xêro!

Belenâmbulo disse...

Pois é, Mallika,
Tá pensando o quê? Belenâmbulo também é informação!!!
Bom... imagens do quebra-pau vc deve encontrar nos sites convencionais de notícia. Havia mais fotógrafos do que gente, e toda essa confusão foi uma verdadeira festa para eles.
Eu fiz o possível para fotografar algo diferente do que apareceria nos jornais (sem contar que não estava a fim de levar spray de pimenta, nem balas de borracha...).

Abraço

Frederico Guerreiro disse...

Valeu, Wagner! Para mim foi um furo de reportagem.
Vou escrever alguma coisa a respeito lá no blog.

Abraço

Rodrigo Mendes disse...

Muito interessante essas imagens... Retratam a "cochia" da batalha...

Obrigado por perticipar no meu blog.

Sempre estarei por aqui também.
E podemos trocar informações gerais sobre essas questoes arquitetonicas.

Abraços

Anônimo disse...

Pessoas ignorantes, comentarios ignorantes. Acontece!

. disse...

Tô adorando "os exemplos de respeito" ao código de posturas da cidade.

Frederico Guerreiro disse...

Algum morador egoísta apareceu por aqui. Esse não é belenense.

Belenâmbulo disse...

Prezado Fred,
Bela postagem a sua!

Prezado Rodrigo,
Nem li as matérias dos jornais sobre o ocorrido, mas imagino que tenham sido todas muito parecidas: pneus queimados... moradores chorando, protestando, agredindo e sendo agredidos... um ônibus com o vidro quebrado... polícia usando spray de pimenta... Estou certo?
Tanta coisa interessante acontece nas cochias!
Olha, sua opinião tecnicamente qualificada - expressa através de seu blog (que já está aí na minha lista) - será uma grande contribuição ao debate sobre os rumos de nossa querida e maltratada cidade.

Prezada Waleiska,
Que bom! Já tenho um bom estoque de fotos sobre o assunto, mas publico em doses homeopáticas para não enjoar.

Anônimo,
Um dia, quem sabe, alcançaremos o seu nível de sapiência.
Se puder, numa próxima vez, identifique-se. A pior represália que posso lhe aplicar é excluir seu comentário, além de enviar um trabalhinho através do Macumba Online (www.macumbaonline.com)

Abraços a todos

Anônimo disse...

Eu sou moradora e entendo sua opnião,já q é beneficiado!
O caso é q há muito + sujeira debaixo desse governo ,do q vcs pensam e muito + detalhes que provam que o Basa é propriedade privada.
O q foi ganho foi uma liminar,ainda vale a pena espernear SIM!!
Vcs não deviam confiar tanto nas obras de um prefeito q tentou exercer ilegalmente a medicina,ta se lichando p/PSM e foge da CPI da saúde!!
Um abraço à todos!!

Belenâmbulo disse...

Prezada Anônima,
Ser a favor da abertura do conjunto do Basa não significa apoiar o prefeito irrestritamente, muito menos fazer vista-grossa às demais mazelas de sua administração. A prefeitura, como instituição, e a cidade, como espaço coletivo, são muito maiores que um pobre falsário.
O máximo que posso fazer contra esse sujeito, considerando a minha disponibilidade de tempo e as demais prioridades de minha vida, é nunca votar nele. Infelizmente, dependemos de outras pessoas para que ele não seja mais eleito para cargo nenhum.

Será ótimo para enriquecer o debate se você puder compartilhar conosco esses detalhes que provam que a área comum do conjunto é propriedade privada. Mande cópias escaneadas dos documentos para meu e-mail, que as publicarei com prazer.

Embora eu tenha dito o contrário na postagem, concordo com você: SEMPRE VALE A PENA ESPERNEAR! Pode não ter efeitos concretos, mas dá um alívio na consciência... uma sensação de dever cumprido ao morrer lutando!!!

Abraço

Frederico Guerreiro disse...

Perfeito, Wagner. O que têm a ver as mazelas do prefeito com o caso específico do Basa? No que altera concluir que o prefeito não presta?
É incrível como continuam alegando propriedade, como se isso fosse um direito absoluto, intangível.
Mas tudo bem. Se a propriedade é deles, ou seja, se a rua é deles, de que adianta comprovar isso se a prefeitura pode DESAPROPRIAR para a realização do interesse público? NESSE CASO, A PROPRIEDADE É INOPONÍVEL!!! SALVO PARA APURAR INDENIZAÇÃO!!!

Meu caro Wagner, a pior coisa na vida é discutir com pessoas mais elevadas que nós, pois não conseguiremos alcançar a profundidade de seus pensamentos. Quando muito, é possível que pensem que nós somos seus inimigos, por não admitirmos que fiquem com o bem de todos nós.
Lamentável.

Belenâmbulo disse...

É isso aí, Fred,
Apesar de tudo, é tão bom discutir, concorda? Ah... eu gosto!
O problema é que as pessoas (todos nós incluídos, é claro!) falam e fazem muita besteira quando entorpecidas pela emoção, como é o caso de alguns moradores do Conjunto do Basa, já que perderam privilégios. Eu também ficaria puto se estivesse no lugar deles.
Entretanto, sentir raiva, extravasá-la, espernear, fazer e falar merda... é tudo tão humano!
Que beleza!

Viva os comentários odiosos!!!
(eu só preferiria que os autores se identificassem)

Conjunto do Basa disse...

Entendam...

http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?rl=mp&uid=11081596927430718009

Não somos egoístas, queremos exatamente isso que foi falado acima.. O certo seria DESAPROPRIAÇÃO !
Egoístas são os socios da AP, o sentido da via pelo Conj vai ser ÚNICO. Tavares Bastos para João Paulo II. Serão os únicos beneficiados, pois este mês será a inauguração do Ed. Garagem!

http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?rl=mp&uid=11081596927430718009

Belenâmbulo disse...

Prezado Pedro,

E se forem egoístas, qual o problema? Todos nós o somos em alguma medida. Se não lutarmos por nossos interesses, quem o fará? Se eu estivesse no seu lugar, provavelmente faria o mesmo.

A respeito da carta que você enviou ao Liberal, veja o que diz o colega Fred Guerreiro, na caixa de comentários da postagem "A escritura do Conjunto do BASA":

"Art. 22 da Lei nº 6.766/79 - Desde a data de registro do loteamento, passam a integrar o domínio do Município as vias e praças, os espaços livres e as áreas destinadas a edifícios públicos e outros equipamentos urbanos, constantes do projeto e do memorial descritivo."

Conforme essa lei, o prolongamento da Tavares Bastos integraria o domínio do Município, mesmo que a área tenha sido comprada por vocês (como foi o caso). Na época em que foi solicitado o asfaltamento do Conjunto, a Prefeitura deu uma de joão-sem-braço para fugir das responsabilidades.

Abraço

Anônimo disse...

Como morador desta cidade que tanto nos frustra nesta desorganização urbana, creio que a abertura do conjunto do BASA é uma medida urgente para o desafogamento do trânsito de todos, e isto não é novidade.Acredito qie os moradores deste local estão frustrados pela retomada das obras, mas nada impossível se houver um diálogo com a prefeitura de Belém,ela não é a melhor referência de administração pública mas neste caso para um bem maior pelo menos isto ela está se mobilizando frente às mazelas da saúde e outros serviços ao cidadão.Portanto não sejamos egoístas e sim colaboradores
S.ferreira

Belenâmbulo disse...

Prezado S. Ferreira,

Agradeço pela visita e pelo comentário.

Concordo parcialmente com você.
A abertura do conjunto do Basa trará muito mais benefícios à coletividade do que os prejuízos alegados por alguns moradores de lá. Entretanto, não acredito em melhorias significativas para o congestionamento rotineiro daquelas imediações. Na minha opinião, os grandes vilões são os semáforos em frente ao Castanheira e ao Cidade Folia, o estreitamento da pista no início da Augusto Montenegro, os pontos de ônibus muito próximos ao Entroncamento, e a própria conformação da rotatória do Entroncamento.

Abraço