terça-feira, 9 de junho de 2009

Quem utiliza a passarela do Entroncamento?

Eles não (nem eu)...

Eles sim...

7 comentários:

Claudia disse...

Muito bom o teu blog! Cheguei nele pela Rede Paraense de Blogs e AMEI!

Marky disse...

PQP!

Onde vais parar minha Belém...

Um abraço do paraense no Acre.

Marky Brito

Cléoson Barreto disse...

Caro Belenâmbulo, não fosse pela segunda foto eu iria sugerir enquadrar este post na categoria "Placebo". :-)

Camilla Delduque disse...

égua, ontem eu passei por ali à noite e vi! tava um grupinho cheirando cola bem no começo da escada, ali onde tá passando a kombi na 1ª foto!

Belenâmbulo disse...

Prezada Cláudia,
Bem vinda! É uma honra tê-la por aqui.
Eu já passeava eventualmente pelo seu "Marcos do Tempo", partindo dos "Banheiros Paraenses". Muito legal! Infelizmente a produção da blogosfera supera de longe a minha capacidade de leitura... A partir de agora irei lá com mais frequência.

Pois é, prezado Marky,
Algumas cenas, de tão corriqueiras, nem chocam mais. Estamos todos anestesiados. "Fotografar e publicar" é minha humilde contribuição.
Ah... já faz algum tempo que recebo visitantes provenientes de seu blog, mas ainda não havia lhe agradecido pela divulgação. Obrigado!

Cléoson,
Que placebos caros essas passarelas! Seria melhor ter construído casas...

Camilla,
Até me considero um cara corajoso, mas confesso que tive medo de subir as passarelas para fotografar, mesmo de dia e em horário movimentado. Pode ser puro preconceito, mas tive medo de gente...

ABRAÇOS A TODOS

Denilson D'Almeida disse...

cara, eles ainda dividem os espaço com os excrementos que eles mesmo fazem no local.

Belenâmbulo disse...

Prezado Denilson,
Bem vindo ao Belenâmbulo! Sinto-me honrado em tê-lo por aqui, e agradeço pelo link em seu blog (blogdodeni.blogspot.com)

Sobre "dividir o espaço com os excrementos no local", eles não fazem muito diferente de nós... Nossos excrementos estão logo ali, no Aurá, nos canais (que desembocam todos no mesmo lugar)... A escala reduzida torna o fato mais visível e chocante.

Abraço