sexta-feira, 30 de abril de 2010

Um desabamento anunciado

- Você é do Patrimônio Histórico?
- Não.
- Então por que está fotografando essa casa velha?
- Gosto de fotografia... gosto de retratar imóveis antigos abandonados...
- É bom mesmo, pois esse aí deve desabar logo, logo...
- Hã???
- Pode ver que ele só tem a fachada. Lá atrás tem uns quartos de um hotel da outra rua, que comprou o imóvel e queria derrubar tudo para fazer a entrada da garagem.


Olho pelas frestas das portas e confirmo a informação:
- Olha só... é mesmo!
- Mas o pessoal do Patrimônio Histórico não deixou. Sabe como é: imóvel tombado não pode ter suas características alteradas sem autorização.
- Sei... mas tem algum incentivo?
- Só uma isenção do IPTU, e mais nada. Quem quiser que tire do próprio bolso para restaurar. E isso custa caro... O dono do hotel preferiu abandonar e esperar desabar.


876 e 880 da Manoel Barata, entre Presidente Vargas e Frei Gil. A entrada do hotel a que meu interlocutor se referiu fica na Ó de Almeida

5 comentários:

Tanto disse...

Que pena, que pena. E assim Belém vai caindo pelos interesses de uns poucos.

Amanda Pinto disse...

É muito fácil ser proprietário de um imóvel tombado, que tem isenção de IPTU, e não dar a devida manutenção periodicamente pra, posteriormente - quando o imóvel literalmente tombar - dizer que a culpa é do preço da intervenção restaurativa acessorada pelo(s) órgão(s) competentes.
Um prédio não se mantém sozinho. Assim como acho uma tremenda estupidez deixá-lo vir abaixo por descaso, já que a isenção do IPTU serve justamente pra prover o imóvel da infra-estrutura necessária pro mesmo ser utilizado longamente.
É fácil demais culpar os outros pra justificar a própria negligência.

Abraços.

Belenâmbulo disse...

Fernando,
Tenho sentimentos ambivalentes ao publicar esse tipo de coisa. Por um lado sinto-me um cidadão-consciente-atuante, que faz a sua parte (quase nada...) divulgando as agressões ao nosso patrimônio. Por outro, fico melancólico com a quase-certeza de que retrato algo que desaparecerá em breve.

Amanda,
Segundo me informaram, a isenção de IPTU é irrisória se comparada aos custos de manutenção de um imóvel tombado. Mas concordo com você: é muito fácil culpar os outros e não assumir a própria responsabilidade.

Abraços

Amanda Pinto disse...

Se a manutenção for periódica, Wagner, não vai ficar dispendioso pro proprietário, pelo contrário, o bolso dele e a segurança dos vizinhos agradecem. Maaas...
Abraços.

Belenâmbulo disse...

Amanda,
Esse "maasssss" é a raiz de todos os males.

Abraço